domingo, julho 09, 2006

As escolhas de Umberto Eco

Num artigo recente Umberto Eco oferece algumas sugestões de leituras filosóficas para não especialistas, "ou para aqueles que foram ouvir supostos filósofos e não perceberam nada de nada." Registo-as aqui, para poder reciclar o recorte do jornal.

Clássicos
  • Platão, Crípton. "onde aprendemos como e porque deve um cidadão respeitar a lei"
  • Aristóteles, Poética. "Deve ser lido como se descrevesse a forma de escrever um livro de mistério ou um Western."
  • Santo Agostinho, De Magistro. "Fala de assuntos da vida de todos os dias da forma como falariam com os vossos filhos. Um livro que brilha pela simplicidade e inteligência."
Idade Média
  • Abelardo e Heloísa, Cartas de Amor [Historia Calamitatum, a autobiografia de Pierre Abélard]. "Não esperem muito sexo mas vale o trabalho"
Renascimento
Iluminismo
Séc. XIX
  • Leopardi, Zibaldone. "aconselharia um pouco de cada vez, uma ou duas páginas na cama antes de adormecer."
  • Kant, Lições. "(sobre assuntos nos quais ele não era especialista) (...) Nessas obras ele aparece mordaz, bizarro, com algo de um narrador e até capaz de exprimir opiniões paradoxais. Tentem ler as lições dele de antropologia." [Encontrei na Amazon as de Ética, Metafísica, Lógica e Teologia Filosófica]
Contemporâneos
  • Wittgenstein, Investigações Filosóficas. "De vez em quando dirão que ele era um louco. Mas que louco."

3 comentários:

LN disse...

Pois seria interessante discutir as escolhas de Eco. E enriquecer (bastante) os contemporâneos... afinal, quanto mais perto, menor a oferta? (risos)

José N. Azevedo disse...

Com certeza que seria interessante discutir as escolhas, LN... para quem tivesse conhecimentos para isso :-D

O comum dos mortais pode apenas anotar estas pistas e esperar pelos 65 anos! [riso]

LN disse...

Ah! a não ser que «seja da área»...
E, já agora, divertida a evolução dos géneros (risos). Deixei-te um peixe no Conversamos :)